Pastor condenado a 50 anos de prisão por ter violado fiéis

Harare, – Um pastor zimbabweano que tem 11 mulheres e 30 filhos foi condenado nesta segunda-feira (3) a cinquenta anos de prisão por violar quatro fiéis e ter ameaçado outras de lhes retirar a bênção se elas apresentassem queixa às autoridades.

bible4

Robert Martin Gumbura, fundador da “Igreja independente Robert Martin Gumbura da Mensagem do Fim dos Tempos”, somente passará 40 anos atrás das grades, porque o tribunal concedeu-lhe uma comutação de 10 anos por ser réu primário (nunca tinha sido condenado antes). Ele tem 57 anos.

“Eras um verdadeiro lobo sob pele de carneiro”, disse-lhe o juiz Hoseah Mujaya, enquanto Gumbura afirmou que todas as suas fiéis eram suas mulheres de direito, que as que eram casadas estavam justamente emprestadas aos seus maridos e que o seu objectivo era o de gerar 100 filhos.

“A vocação de base não importa de que Igreja for é a adoração a Deus, e não de fornicar com as suas filhas e com mulheres ou ameaça-las do pecado ou desgraça”, acrescentou o magistrado.

Robert Martin Gumbura foi igualmente condenado a quatro meses de prisão pela posse de material pornográfico. Entretanto, esta pena será absorvido pela condenação principal.

Em sua defesa, Gumbura declarou que os DVDs eram gravações privadas com suas esposas.

Casos de líderes de igreja que abusam de mulheres são comuns no Zimbabwe. No mês passado, o líder de uma seita apostólica foi manche da media local depois de se ter descoberto que ele havia engravidado 13 mulheres em um mês.

 

Fonte: Kapitololo/Angop

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s