CHAVETAS DA NOVA GERAÇÃO “HOJE A VITÓRIA CHEGARÁ”

CHAVETAS DA NOVA GERAÇÃO “HOJE A VITÓRIA CHEGARÁ”

“Ai deles! Porque foram pelo caminho de Caim, e por amor do lucro se atiraram ao erro de Balaão, e pereceram na rebelião de Coré.” (Judas 1:11)

Você sabia que em Cristo ser vitorioso pode simplesmente significar morrer? Sim, esta é a verdade que as igrejas triunfalistas não querem ensinar preferem que as pessoas acreditem que ser vitorioso é ganhar muito dinheiro ou promoção no emprego.

Hoje, passar por tribulação mesmo por questões imputáveis ao Cristão, os ensinadores triunfalistas e teólogos da prosperidade iludem as pessoas dizendo estarem sendo perseguidas ou atribuem as culpas ao diabo.

PAULO foi vitorioso, porem não tinha as melhores charretes de seu tempo, águas-furtadas ou limusine; antes pelo contrário ele fala o seguinte: “ Antes em tudo recomendando-nos como ministros de Deus; em muita perseverança, em aflições, em necessidades, em angústias, em açoites, em prisões, em tumultos, em trabalhos, em vigílias, em jejuns, na pureza, na ciência, na longanimidade, na bondade, no Espírito Santo, no amor não fingido, na palavra da verdade, no poder de Deus, pelas armas da justiça à direita e à esquerda, por honra e por desonra, por má fama e por boa fama; como enganadores, porém verdadeiros; como desconhecidos, porém bem conhecidos; como quem morre, e eis que vivemos; como castigados, porém não mortos; como entristecidos, mas sempre nos alegrando; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, mas possuindo tudo.” (II coríntios 6:4-10).

PEDRO, também foi vitorioso porem, vivia em um pequeno casebre cujas ruinas ainda hoje existem em Israel, e disse de si mesmo “para que, no tempo que ainda vos resta na carne não continueis a viver para as concupiscências dos homens, mas para a vontade de Deus. “Porque é bastante que no tempo passado tenhais cumprido a vontade dos gentios, andando em dissoluções, concupiscências, borrachices, glutonarias, bebedices e abomináveis idolatrias. E acham estranho não correrdes com eles no mesmo desenfreamento de dissolução, blasfemando de vós; os quais hão-de dar conta ao que está preparado para julgar os vivos e os mortos. Pois é por isto que foi pregado o evangelho até aos mortos, para que, na verdade, fossem julgados segundo os homens na carne, mas vivessem segundo Deus em espírito. (I Pedro 4:3-6).

TIAGO, é dito como sendo o “irmão do Senhor” (Gálatas 1:19), um homem vitorioso mas que resume a vitória nos seguintes termos “Mas o irmão de condição humilde glorie-se na sua exaltação, e o rico no seu abatimento; porque ele passará como a flor da erva. Pois o sol se levanta em seu ardor e faz secar a erva; a sua flor cai e a beleza do seu aspecto perece; assim murchará também o rico em seus caminhos. Bem-aventurado o homem que suporta a provação; porque, depois de aprovado, receberá a coroa da vida, que o Senhor prometeu aos que o amam. (Tiago 1:10-12).

Tiago, faz duas seria questões em relação a inversão de conceitos que deveriam nos servir de advertência “Ouvi, meus amados irmãos. Não escolheu Deus os que são pobres quanto ao mundo para fazê-los ricos na fé e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam? Mas vós desonrastes o pobre. Porventura não são os ricos os que vos oprimem e os que vos arrastam aos tribunais?” (Tiago 2:5,6). Tiago não condena a riquezas mas adverte para mudança que se operam quando elas se tornam o foco do evangelho e as consequências dai decorrentes.

Digo. Não nascemos todos para ser ricos, tal como não nascemos todos para ser pobre, mas a igreja não é um centro de workshop financeiro.

O que dizer de João? Terá ele sido um maldito uma vez que foi deportado à ilha de Patmos?

Judas disse: “..senti a necessidade de vos escrever, exortando-vos a pelejar pela fé que de uma vez para sempre foi entregue aos santos.” (Judas 1:3). Convém explicar que o apóstolo falava mesmo sobre aqueles sujeitos que na época aproveitavam-se do evangelho para tomar os bens alheios.

Ser próspero económico, financeira e materialmente não é pecado é até “dom de Deus” (Eclesiastes 3:13) mas esta não é a essência do evangelho da salvação e nem necessariamente uma consequência da salvação, mas resultado de diligência e perspicácia nos negócios da vida. (Provérbios 6:6-10).

Oro para que Deus me prospere e trabalho para que seja bem-sucedido mas sei também que para ser bem-sucedido não tem a salvação das nossas almas como condição “sine qua non” pois o cristão pode e vive em pobreza material, económica e financeira; passa por momentos em que nem o pão nem, o leite, nem outros alimentos estará a sua disposição para saciar a fome mas isso não o transformará em um não cristão.

Não foi por acaso que Paulo disse “Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. POSSO TODAS AS COISAS EM CRISTO QUE ME FORTALECE” (Filipenses 4:12,13)

Os preceitos divinos contidos nas Sagradas Escrituras nos ensinam e incentivam a acatar os bons hábitos que em si só já são um passo para uma vida bem-sucedida se estivermos falando em condições sócias.

Não quero ser longo para à ninguém cansar ou mesmo errar. Deixando que cada um reflicta um pouco sobre o que ensina e cré sobre as verdades bíblicas.

“errare humanum est…”. Portanto aceito correcções

Kapitololo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s